05 jun 2018

Afecções podais afetam a produtividade das fazendas leiteiras

Atualmente, os problemas de cascos em bovinos tornaram-se uma enfermidade de destaque no cenário da pecuária leiteira mundial devido ao grande impacto econômico que acarretam. Os prejuízos desencadeados são atribuídos principalmente ao descarte prematuro, à redução dos índices produtivos e aos altos custos com tratamentos dos animais acometidos. Devido à elevada incidência dos problemas de casco em animais criados em sistemas intensivos, é importante estabelecer medidas eficazes de tratamento e de controle para minimizar as perdas produtivas.

Afecções dos cascos comprometem severamente a produção leiteira e a eficiência reprodutiva das fêmeas. Os animais acometidos apresentam dor intensa, o que provoca dificuldade de locomoção (claudicação), de alcançar o cocho de alimentação e passam a permanecer deitadas por longos períodos. Consequentemente, essas vacas podem possuir folículos ovarianos persistentes, demonstrar menos estro e apresentar intervalo entre partos superior às saudáveis.

Diversos fatores podem ser responsáveis pelo aparecimento dos problemas de cascos em bovinos. Dentre eles estão o excesso de umidade, higiene deficiente, ausência de uso do pedilúvio, pisos abrasivos, traumas, falta de conforto nas instalações, problemas nutricionais, ocorrência de doenças sistêmicas e a predisposição genética (defeitos de aprumos). Ainda, é importante destacar que o manejo dos animais pode ser associado às afecções dos cascos, principalmente quando os animais permanecem por longos períodos em estação.

As afecções podais podem ser classificadas em inflamatórias ou infecciosas. Nas infecciosas, o contato frequente dos cascos com matéria orgânica possibilita que bactérias invadam os tecidos e instalem um processo infeccioso. Os quadros podem variar de áreas restritas ou até mesmo acometer estruturas profundas como ligamentos e articulações (flegmão digital). Em processos infecciosos agudos é necessário tratamento imediato para evitar que ocorram lesões irreversíveis nos cascos e até mesmo nas articulações.

Diante da severidade de alguns tipos de lesões é importante a identificação rápida para início do tratamento adequado. Dessa forma, é importante estabelecer um protocolo de tratamento dessas afecções para evitar o agravamento das lesões.

 

Lactofur e Maxicam 2% - EFICÁCIA COMPROVADA NO TRATAMENTO DE LESÕES DE CASCO

Rápida evolução de lesões graves sete dias após o tratamento com Lactofur e Maxicam 2%:

Bruna Martins Guerreiro e Janielen da Silva

Especialista e analista técnica em saúde animal

Tags